Rio Croa é paraíso ainda pouco conhecido no Acre

Centro espiritual e ritual de Ayahuasca. Restaurante e pousada com preços acessíveis. Com características de lago, Rio Croa fica em Cruzeiro do Sul. Belezas do local começam a atrair visitantes do estado.

   Rio de águas escuras, Croa tem características de lago (Foto: Adelcimar Carvalho/ G1)


 Pouco conhecido pelos próprios acreanos, o Rio Croa, localizado em Cruzeiro do Sul, a 648 km da capital Rio Branco, guarda paisagens naturais e muita riqueza em fauna e flora. Apesar de não ser tão conhecido, o local fica próximo da área urbana do município acreano, para chegar até este paraíso é preciso percorrer 21 quilômetros pela BR-364. O rio de águas escuras tem características de lago e a consciência dos moradores em preservar o local, fazem do Croa uma fonte fácil de alimentos para a subsistência da comunidade, que hoje é composta por 57 famílias. Muitas delas são adeptas do chá da ayahuasca, o daime, e recebem constantemente visitantes em busca de paz espiritual. O casal Jackson dos Santos Messias, de 26 anos, e Cintia Dane Flores Messias, de 40 anos, é um deles. Eles mantêm um centro religioso onde são oferecidos trabalhos espirituais com o uso do chá, às margens do rio.
  Casal abriu uma pousada e vive do turismo no Rio Croa (Foto: Adelcimar Carvalho/ G1)

“A gente recebe muitos turistas, até bem pouco tempo o Croa era mais conhecido no exterior do que em Cruzeiro do Sul. A gente recebia ingleses, italianos, americanos, japoneses, alemães. Só a partir de janeiro de 2015 é que os brasileiros passaram a vir aqui com mais frequência. Hoje temos trilhas naturais, na mata, onde as pessoas podem caminhar e desfrutar de tudo que a região tem de belo”, diz Santos que também trabalha como guia turístico. Em janeiro deste ano, o casal, que já mantinha trabalhos espirituais na comunidade “Canto e Encanto Janaína”, passou a apostar no turismo, montou um restaurante e investe numa pousada que hoje tem capacidade para abrigar 18 pessoas. A pousada oferece café da manhã, almoço e janta a preços acessíveis.


 
Vitórias-regia fazem parte do cenário do Croa (Foto: Adelcimar Carvalho/ G1)




 Ao longo do Rio Croa é fácil encontrar árvores centenárias como a samaúma e a seringueira, além das vitórias régias que nas águas do Croa se proliferam e embelezam às margens do rio.

Fazendo um mestrado em Letras, Linguagem e Identidade na Universidade Federal do Acre (Ufac), a estudante Pabla Alexandre Pinheiro Silva conta que descobriu o Croa numa feira de economia solidária em Rio Branco, onde algumas pessoas vendiam artesanatos feitos com a palha do buriti. Ela ficou hospedada na pousada do casal Jackson e Cintia por quatro dias. “Quero conhecer mais sobre a samaúma, ayahuasca, a comunidade e sua religiosidade espiritual para basear minha pesquisa”, explica.

 
Pabla descansa em pousada (Foto: Adelcimar Carvalho/ G1)


 Pabla se disse impressionada com a religiosidade e espiritualidade do local, os preços praticados e o sabor dos pratos servidos. Viúva do ex-governador do Acre, Orleir Cameli, a ex-primeira dama Beatriz Cameli é outra que sempre visita as famílias que residem no Croa. Ela destaca que as pessoas sobrevivem sem destruir, ou depredar a flora e fauna. “É um lugar próximo da cidade que as pessoas ainda não descobriram. É um lugar paradisíaco, ideal para passeio com as famílias. As famílias de lá vivem em harmonia com o meio ambiente. Sobrevivem cuidando da natureza. Recomendo esse passeio, já levei vários grupos ao Croa. Eu e minha família sempre vamos pra lá quando queremos descansar e respirar ar puro”, finaliza.

Brak komentarzy:

Prześlij komentarz